POEMAS (NATIVA) E PRINCIPAIS OBRAS DE MONET

SEM ARTE, SEM VIDA

Oh, grande poeta das palavras!
Conheces bem a dramaticidade,
Põe de joelhos a sua platéia,
Invade almas com sua arte.
Quer-se se faz misterioso,
Incorpora o personagem melhor da história,
Sua arte torna-se perfeita,
A platéia aplaude e deleita.
Enquanto tudo é êxtase,
A alma exibe perfeição,
Oh, palco pleno e cheio de glória!
Mudar o destino seria em vão.
Para uma medíocre sociedade,
A poesia é para os bobos então,
Transcender por meio da arte,
Seria loucura e desrazão.
Mas quantos “loucos” artistas,
Fizeram história vivendo na “contra mão”?

Nativa 
MOMENTOS E MOVIMENTOS

Emocionalmente na corda bamba,
Completamente alada sujeita ao vento,
Talvez uma borboleta singela,
Ou uma vampira a espreitar o tempo...
Ambas aladas e sedutoras,
Buscam a liberdade dos amores,
Cada uma na sua intensidade,
Satisfazer suas ansiedades.
Nem sempre só borboleta,
Tão pouco só vampira,
Depende dos movimentos equilibrista,
Na corda bamba da vida.

Nativa





TUDO PASSA...
*****************
Tempo, tempo, tempo...
Até onde vai tanta vaidade?
A vida passa como o vento,
Que lembrança terá da futilidade?
Tudo é teatro nesta vida,
Sonhos, fantasias e criações,
Tempos reais no porvir...
Para todos sem restrições.
A verdade será desnuda,
Nua e crua como convém,
Sem disfarces e acessórios,
Mas a aparência real que se tem.

Nativa

AS CORES NO JARDIM

Bailam borboletas no universo das flores,
Com a melodia dos pássaros cantores,
Forma uma coreografia de cores,
Talvez anuncie a primavera e os amores...
Na valsa de cores que surge no jardim,
Borboletas tatuadas arrasam na dança,
Um show de artistas lindos e exuberantes,
As flores contorcem e exibem elegância.
O vento esperto chega confiante por ali,
Com seu toque sedutor desperta em fim,
O perfume das flores destacando-se o jasmim.

Nativa
CORAGEM DE NAVEGAR

Há uma amplidão em minha frente.
Então, sigo com meu barco,
Não temo a nada,
Desconheço limites...
Nada é insuperável!
Tomada de coragem sigo...
O fim da caminhada não me preocupa,
Não desejo que o fim chega,
Nessa amplidão do horizonte,
Minha busca é incansável.
NATIVA



SÃO PÁGINAS

Talvez pouco reste de mim,
 Mas ainda há vida jovem sim.
 O coração pulsa firme e confiante,
 O futuro reserva encantos sem fim.
Tristezas ficaram para trás,
Pedaços da alma de uma mulher,
Um corpo marcado pelo tempo,
Um livro de histórias a ler...
A vida segue o seu curso,
       Sem que as páginas terminam,
    São tantas para escrever...
 Sonhos que não findam.

NATIVA