VAMPIRO




Nas noites frias e escuras,
Por trás das muralhas da rua,
Sedento do néctar vermelho,
Uma vítima está à espreitar.

Brevíssimo sedutor para o mau,
A vida para ele não vale nada,
Faz cadáveres sem par,
Teu prazer está nos sangue das vítimas.

Seu tempo é curto na noite,
Teus olhos não suportam a luz,
Breves momentos antes da aurora,
Espírito hematófago se isola.

Terror das noites mais frias,
Mais gélidas com a tua presença,
No silêncio, medo e arrepios,
Humanos temem a sentença.