SOMATIZAÇÃO

*******************************
Vivencio e comunico as minhas angústias,
Por não ser insensível aos tristes eventos da vida.
O pensamento científico busca o rigor, a lógica,
O pensar poético visa além, efeitos de ressonância.
Para a ciência, a racionalidade, controle dos parâmetros,
O manejo e a adequação das variáveis.
Diria eu o contrário do que sinto para agradar a razão?
Não! Sou livre poetisa não preocupada com a lógica,
Mas em expressar as queixas mais loucas da alma.
NATIVA

ÉBRIA DE AMOR



Inebriante perfume...
O beijo,
Quente como pimenta,
Inexplicável agonia...
Meu doce vinho!
Tornei-me ébria todos os dias,
Deliro...
Agonizo...
Enlouqueço!
Seu cheiro,
Teu beijo,
Teu corpo...
Sem você não sobrevivo.

Nativa

O SILÊNCIO FALA E TRANSFORMA



A mente cansada mergulha,
No mais profundo silêncio...
Olha, que maravilha!
Ouço bater o coração do universo,
O pulsar das criaturas...
O ruflar das asas dos anjos.
Não perdi totalmente a inocência...
Alegro-me imensamente,
Por aprender com contos e estórias,
Lições simples e ingênuas,
Agora arquivadas na memória.
Eis que a chama da esperança renasce,
A mente mais leve,
A fé intensifica.
Renovada levanto-me,
A peregrinação nesse mundo segue,
Torna-se suportável,
Sai o espinho e a flor aparece.

Nativa

QUARTO DE MILHA



Estradão...
Crinas ao vento,
Nuvem de poeira...
Pingos de chuva,
Caem na estrada,
Cheiro de terra.
Nativa



MULHER E ALMA DE MENINA (autora: Lúcia Regina Corrêa - Nativa)


A alma de menina,
É livre dançarina alada.
Uma borboleta linda,
A bailar com as fadas.
Voa por todo lugar...
Aquece com os raios de sol,
Veste-se de cores vivas,
Traje natural e especial.
Pousa como boa menina,
Imita os beija-flores,
Das flores se aproxima,
Com beijo e exibição de cores.
Antes que se vá...
Dança, dança, dança...
Retorna ao coração de mulher,
Que em sonhos viaja...
Apenas lembranças.
Nativa